sexta-feira, 6 de março de 2015

O sucesso das Uruçus Verdadeiras em Natal/RN

Depois de muito tempo longe deste espaço, volto para relatar um pouco das minhas “aventuras” nos últimos dias no mundo das amáveis abelhas sem ferrão. Devido a minha mudança de Mossoró para Natal, estive durante muito tempo sem a possibilidade de criar as abelhas de maneira apropriada.

Nesse período perdi alguns enxames e pouco dei assistências as abelhas. Entretanto, finalmente encontrei um local bastante apropriado à criação. Antes de mais nada é preciso registrar que mudei o foco de minha criação. 

(colônia matriz de Uruçu Verdadeira - melipona scutellaris)

Por aqui as abelhas Uruçus são bem mais adequadas a criação racional pela melhor adaptação ao clima quente e único da mata atlântica, muito embora mantenha ainda algumas colônias de Jandaíra aqui e no interior.

Estou focando com força na Uruçu Verdadeira que, na minha opinião, é uma abelha fantástica. Venho multiplicando-as com grande sucesso por aqui. Neste último mês de janeiro fiz 10 novas colônias e todas geraram rainhas em menos de 15 dias. 

(divisão - colônia nova com 40 dias de postura)

Estou bastante satisfeito com o desenvolvimento das minhas colônias, fato que atribui principalmente ao meu manejo adequado, uma alimentação de reforço sempre que necessário e a seleção das melhores colônias para divisão.

(colônia matriz de Uruçu Verdadeira - uma das melhores abelhas do Brasil)

Minhas colônias, mesmo após as divisões recentes, estão com nova postura batendo a tampa da caixa. Devidos as últimas fortes chuvas em Natal e região temos encontrado uma abundância de flores, o que proporciona as abelhas muito pólen. Fato este refletido numa postura em constante crescimento.

Registro ainda minha participação no último dia 22 de fevereiro na cidade de João Pessoa para participar de fundação da Associação de Meliponicultores do Estado da Paraíba, fato este bastante significativo para meliponicultura local.

(fundadores e eleitos para a primeira gestão da Associação de Meliponicultores da PB - AMEL)

Nesses tempos de seca no campo e falta de água nas grandes metrópoles, é mais que chegada a hora da atividade sair do anonimato para levantar a bandeira da preservação das abelhas nativas que por intermédio da polinização são os animais diretamente responsáveis pela preservação das nossas florestas, nossa maior fonte de água.

Natal/RN, em 06 de março de 2015.

Kalhil Pereira França Thurner

Meliponário do Sertão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário aqui: