terça-feira, 13 de julho de 2010

Ração protéica para abelhas sem ferrão


Quem pensa que abelhas precisam somente do mel está enganado. Na verdade, as abelhas precisam tanto do pólen quando do mel, o mel representa o alimento energético enquanto que o pólen é alimento protéico.

Fazendo uma comparação bem vulgar, poderia dizer que o mel está para as abelhas assim como a rapadura com farinha está para o cabloco sertanejo, ou mesmo, que o pólen está para as valentes aladas assim como a carne de sol para o nordestino.

Sem pólen de qualidade e em quantidade as abelhas não crescem de forma favorável ao desenvolvimento da atividade do meliponicultor. Dessa maneira, nos períodos de escasses de alimento não adianta apenas empurrar xarope nas abelhas. O ideal é que se forneça também um substituto para o pólen na ausência de boas floradas.

Pesquisas realizadas pela EMBRAPA do Pará mostraram que a quantidade de proteína na composição do pólen é um fator importante para o crescimento das colônias de abelhas sem ferrão.

Dessa maneira, durante o congresso em Cuiabá-MT acabei aprendendo uma ótima receita para o desenvolvimento de uma ração protéica que vem trazendo excelentes resultados no desenvolvimento dos meus enxames.

A receita me foi passada pelo Prof. Dr. Giogio Venturieri e o modo de preparo pelo seu aluno de pós-graduação, o colega Peter Hans Muller, outro cara fera que vai seguindo os passos do Mestre Venturieri. Essas duas figuras trabalham com abelhas sem ferrão já a bastante tempo e são referências na região amazônica sobre as abelhas sem ferrão.


A primeira coisa a se fazer é coletar um pouco de pólen in natura de alguma colônia, a primeira dica é que não pode ser qualquer pote de polén, tem que ser aquele onde as abelhas já inciaram o processo de fermentação, ou seja, aquele polén de potes lacrado de consistência pastosa.

Esse polén possui uma série de microorganismos e substâncias enzimáticas inseridos pelas abelhas que fazem o processo de fermentação do pólen, somente após esse processo químico é que o alimento se transforma nessa pasta que vai sendo consumida pelas abelhas aos poucos. Após a coleta reserve-o em algum recipiente limpo.

Vamos usar cerca de 300g de farinha de soja ou levedo de cerveja, pode ser qualquer um desses, escolha o que tiver a maior concentração de proteína e for mais barato pra você, no caso aqui eu escolhi a farinha de soja.

Junto com a farinha misturamos um pouco de mel ou mesmo xarope, cerca de 200ml, tanto faz o efeito é praticamente o mesmo e as abelhas consomem do mesmo jeito.

Vamos misturando o mel aos poucos a farinha até a consistência começar a ficar pessada para mexer. O ponto certo é esse aí abaixo, veja que ficou um pouco molinho e bem pegajoso.



Após chegarmos ao ponto correto misturamos o pólen in natura que foi coletado antes, misturamos de forma que ele se integre por igual na pasta da ração.


Por fim, após chegarmos a essa massa pastosa já com o pólen integrado a ela a mesma deve descançar por 15 dias enrolada em um pano limpo de modo a permitir um pouco de circulação do ar e a fermentação pelos microorganismos que estão presentes no pólen.


15 dias depois a massa, que era bem pegajosa, se transforma nessa pasta seca de coloração achocolatada. Pronta para ser consumida pelas abelhas. Eu uso copinhos de café para servir a ração, principalmente por que dá pra dosar a quantidade que cada caixa recebeu e consumiu.


Eu utilizo essa ração principalmente nas colônias novas ou mesmo naquelas que forneceram algum material para a formação de novos enxames.

No outro dia quase todo alimento já foi consumido ou armazenado, já observei por várias vezes as abelhas levando a ração para os seus potes de alimento, ou mesmo, devido a tamanho do copinho de café, fazerem ali mesmo uma cobertura com cera e utilizarem o próprio recipiente com "pote natural".

Att,

Mossoró-RN, em 13 de julho de 2010.


Kalhil Pereira França
Meliponário do Sertão

25 comentários:

Paulo Romero on 13 de julho de 2010 19:39 disse...

Amigo Kalhil,

muito interessante,pois a grande maioria dos meliponicultores,sem muita experiência(como eu)só se preoculpa com o xarope,e se esqueçe do pólen...

Gostei muito da receita,é bem simples e pretendo fazer,para as minhas abelhas...

Grande abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.

Medina on 14 de julho de 2010 08:08 disse...

Olá Kalhil,

Você bem que sabe como descobri à ferro e fogo como a carne de sol é muito importante para as Jandaíras !!!! Coitada das minhas, passaram um aperto neste inverno sem floração. Mas as danadas são resistentes, e lutaram bravamente até se fazerem entender.

Vou colocar em prática, assim que descobrir algum pote de pólen !!!!

Abração e parabéns

BLOG on 27 de julho de 2010 15:47 disse...

Amigo kalhil,

Peço permissão para publicar essa receita em meu blog. Uso uma mistura semelhante que usava com as Apis, também dar bastante resultado.
Mas achei interessante essa etapa da fermentação.
Claro que na postagem identificarei o seu excelente blog como fonte de pesquisa.

Gostaria de acrescentar a ela só uma coisinha, um detalhe que uso nas minhas para alimentar com ração protéica.

atenciosamente,
Isaac Soares de Medeiros. (Blog, Abelhas do Sabugi - PB)
E por favor, faça-nos uma visita, será uma hora para mim a visita do amigo, que assim como eu é um apaixonado pelas abelhas.

Meliponário do Sertão on 27 de julho de 2010 16:22 disse...

Amigo, fique a vontade para publicar e divulgar o que quiser desse blog, não precisa nem pedir.

Quanto a vista a recíproca é verdadeira, vamos marcar uma dia para que eu possa visitar o seu meliponário.

att,

Kalhil

Leo Pinho on 3 de agosto de 2010 21:26 disse...

Kalhil, parabéns pelo blog mais uma vez.

Se você me permite gostaria de fazer duas perguntas: (1) A massa deve descansar na geladeira, não é? Caso
contrário vai juntar barata e formigas e (2) Por quanto tempo posso deixar descansando a massa? Pensei em fazer uma grande quantidade e deixar estocado para dar toda semana, para testar os resultados.

Abs
Leo Pinho
http://www.granjapousoalegre.com.br

Thiago Senra disse...

Bom dia. Apenas não entendi o porque dos copos maiores com o liquido. Para que servem? Obrigado!

Meliponário do Sertão on 20 de agosto de 2010 12:56 disse...

Os copos maiores servem para a colocação do xarope, a alimentação das abelhas é tanto protéica como energética, a base de mel, todavia, para alimentar as abelhas com alimento artificail se fornece o xarope à base de acúçar e sais minerais.

att,
Kalhil

Henrique disse...

Bom dia amigo,gostaria d saber c posso deixar a ração proteica menos tempo para fermentar antes d cervir para as abelhas?
Q sais minerais vc usa pr o charope?
E tbm parabéns pelo seu trabalho,seu blog é muitu bom...valeu

Meliponário do Sertão on 24 de outubro de 2010 21:21 disse...

Pode, mas o ideal para uma aceitação melhor é pelo menos 10 dias.

att,

Kalhil

na mosca on 25 de outubro de 2010 19:04 disse...

o xarope feito com 50% de açucar e 50% de agua é confiavel.( é o preferido das meliponas).

obrigado pela atençao.

João Victor on 20 de fevereiro de 2011 19:38 disse...

Muito bom,

Gosto muito de seu blog, tenho criação de ablelhas Europa e estou me intereçando muito na espécie Jataí, pretendo ter alguns colonias da espécie, esse alimento pode ser servido para esta espécie?

Obriago amigo seu blog é muito importante para quem se intereça em criar abelhas como eu.

Meliponário do Sertão on 21 de fevereiro de 2011 10:56 disse...

Olá amigo,

Olha essa ração pode ser usada para qualquer espécie de melipona ou trigona, só recomendo usar o próprio pólen da espécie que vai alimentar para que o gosto fique do mesmo jeito que o natural.

Com relação ao xaropé, a porcentagem de 50% de cada é a receita mais usada.

att,


Kalhil

Anônimo disse...

ola Kalhil,
Antes meus parabéns pelo excelente blog, é uma ótima fonte de técnicas. muito bom mesmo.

Na elaboração da ração protéica, fiquei com uma dúvida: após o preparo eu posso deixar a massa fechada em um recipiente plástico tampado, igual ao que vc utilizou acima?
um forte abraço
jean carlos - norte do Maranhão

Meliponário do Sertão on 25 de fevereiro de 2011 09:01 disse...

Prezado Jean Carlos,

É prazer responder sua pergunda, com relação a massa final, ela pode sim ser conservada fechada (em geladeira). O mais importante é que a massa fermente por 12 a 15 dias para que fique com gosto, textura e cor do alimento natural, mas após isso ele pode naturalmente ser conservado fechado.

att,

Kalhil
www.meliponariodosertao.com

Anônimo disse...

Ola kalhil
estou aqui mais uma vez. durante esse periodo de 15 dias em q a massa fica em descanso, ela deve ficar em um recipiente fechado ( deposito de plástico tampado), ou deve ficar enrolada em um pano, para protejer de formigas e outros insetos em um ambiente sem refrijeração?
um forte abraço
jean carlos - Norte do Maranhão

Meliponário do Sertão on 26 de fevereiro de 2011 08:37 disse...

Jean, a massa deve ser coberta com um pano limpo, não se deve tampar por completo pois é preciso que ela respire, por isso não use o repiente fechado.

att,

Kalhil

Anônimo disse...

Nedson pergunta:

Amigo Kalhil,
Todo mundo quer saber o seguinte: DURANTE os 15 dias em que a massa fica fermentando, ela pode ficar na geladeira?? Já entendemos que ela deve ficar tampado com um pano par respirar, porém queremos saber se ela pode ficar na geladeira durante todo o período de fermentação, entendeu??!!

Meliponário do Sertão on 15 de março de 2011 08:12 disse...

Meus prezados,

Vamos resolver isso de vez, a massa NÃO PODE FICAR NA GELADEIRA DURANTE O PERÍODO DE FERMENTAÇÃO, PONTO.
Mas, pode ser armazenada dentro da geladeira, depois de passado os 15 dias de maturação.

Compreenderam agora?

Kalhil

Anônimo disse...

Amigo, qual é o lugar mais indicado para colocar esses suprimentos, tato o charope quanto a ração?

Anônimo disse...

Ola, gostaria de saber qual é a melhor forma para montar o alimentador? Tanto do charope quan
to da ração, gostaria de ter uma idéia mais a fundo.
Obrigado, aguardo respostas.
E parabens peklo trabalho.

Meliponário do Sertão on 27 de abril de 2011 12:58 disse...

Coloque dentro da colônia, use um recipiente pequeno, para espécies pequenas, use copinhos de café, para espécies grande como Uruçu por exemplo, use bebedouros de passarinhos grandes para xarope e copos de café dos grandes para a ração.

att,
Kalhil

Claudiano Barbosa disse...

Quero te parabenizar pelo blog e por esta maravilhosa receita. Fiz ela para minhas uruçus e fiquei desconfiado se elas comeriam. Coloquei para elas em tampinhas de refrigerante e fiquei surpreso, quase que elas comem a tampinha também rsrsrsrs.
Fique com Deus

nanda on 21 de outubro de 2012 22:18 disse...

Olá Kalhil, parabens pelo blog, muito bom!!
Me tira uma dúvida, esse alimento proteico deve ser fornecido com qual frequencia? Tem a dosagem indicada pra uruçu verdadeira, bugia, guaraipo??
Abraço

Carlos Barros disse...

Professor Kalhil, obrigado pela didática.
Adquiri um enxame de uruçu verdadeira, o meu primeiro. Como o enxame é novo e está em um novo ambiente resolvi pesquisara sobre reforço alimentar. Encontrei no site da embrapa, a formula que me pareceu muito complicada. Você traduziu de uma maneira simples a sacarose o acido cítrico e as medidas da embrapa, que só com equipamentos de precisão daria para fazer . Muito obrigado e parabéns.

Marco Inacio on 9 de setembro de 2013 14:39 disse...

Só pra ajudar quem tah passando por essa página e não viu essa dica do autor do blog em outra:

"Apenas um dica com relação essa postagem que ensinei, depois de alguns experimentos percebi que a melhor maneira de fazer a ração é à base de mel, pois o xarope se for feito com muita água facilita a criação de bolor e fungos, destruindo a lenta fermentação pelos micro organismos presentes no pólen natural."

http://meliponariodosertao.blogspot.com.br/2013/02/a-importancia-do-polen-para-as-abelhas.html

 

Meliponário do Sertão Copyright © 2008 Black Brown Art Template by Ipiet's Blogger Template